terça-feira, 17 de junho de 2014

Ver um jornal importante de todas as manhãs gastar quase dez minutos de seu tempo para falar de namoro entre crianças de 12 anos me faz sentir vontade de gritar bem alto pra Jesus voltar logo. Ver pais despreparados, incompetentes, irresponsáveis, vazios, sem nenhuma condição de criar nem um cachorro dizerem que tentam ensinar coisas para os filhos, mas precisam respeitar as escolhas. Misericórdia...! O que estamos preparando para o futuro? Meninas de 12 anos dizerem: "ele não me sai da cabeça!" Por favor, deve ser piolho.

Que sociedade vazia, pessoas levianas que basta um ator famoso autorizar seus filhos a fazerem qualquer coisa e acatam isso como ensinamentos para suas famílias. Sinceramente penso que para alguns seres humanos incapazes, o casamento e a maternidade deveriam ser proibidos por lei. Perdoem-me o desabafo!

terça-feira, 3 de junho de 2014

O que penso sobre copa de mundo

Desde 1950 está engasgado na garganta do brasileiro aquela final contra o Uruguai no Maracanã. Chego a pensar que aquele gol que sofremos e nos tirou a copa entalou mais na garganta do que todas as lutas e dificuldades que nosso pais passa até hoje. Vamos receber a copa novamente, será a maior de todas? Ainda tenho dúvidas!

Leio nos jornais sobre a saúde no Brasil, sobre pais de família que vêem seus entes  queridos morrerem no chão frio de hospitais desequipados, médicos despreparados com uma instrução questionável, onde um joguinho no computador é mais importante do que atender um paciente com dor ou a beira da falência. Médicos arrogantes, prepotentes, que se acham acima de tudo e de todos, desonrando o que aprenderam na universidade, o juramento que  fizeram. Médicos endeusados, chamados de doutor quando mal concluíram o bacharelato.  Será a maior copa de todos os tempos?

Vejo protestos de uma população inflamada, com uma liderança atuante, mas invisível. Protestos que se transformaram em combates sangrentos nas ruas entre a força policial armada, muitas vezes despreparada, e uma população dominada e manipulada, jovens mascarados, que fazem parte da folha de pagamento de uma classe dominante e inescrupulosa que não aparece, mas controla tudo.

Vejo jogadores de futebol com salário de mais de um milhão de reais por mês quando a maioria dos brasileiros, muito mais produtivos, ganha um salário de pouco mais de setecentos reais. Assalariados gastando boa parte do seu sustento em  ingressos para partidas de futebol para garantir o salário milionário de alguns notáveis que correm atrás de uma esfera de couro costurado.

Será esse realmente o país da maior copa de todos os tempos? Estádios sendo construídos a preço do sangue de uma população dominada, oprimida, faminta e com os olhos vendados. Investimentos tremendos em arenas esportivas que servirão para dois ou três jogos e depois serão transformadas em shopping necessitando de mais investimentos, enquanto a população continua enferma e faminta.

Por isso creio que será sim a maior de todas as copas, deveríamos ganhar muitos troféus: o da vergonha, da corrupção, descaso, omissão e sobretudo o país que mais entende da filosofia do pão e circo.

O Brasil está doente, maior país católico do mundo, um sincretismo religioso onde a dita yemanjá é mais valorizada do que o único Deus verdadeiro. Não posso dizer e nem concordar que esse pais é do Senhor Jesus como dizem muitos adesivos estampadas nos carros, porque se fosse não seriamos o pais da maior copa do mundo, mas o pais com maior intimidade e consagração ao Criador.

Deus salve essa nação!

   

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Meus devaneios


“Mas Barnabé, tomando-o consigo, levou-o aos apóstolos; e contou-lhes como ele vira o Senhor no caminho, e que este lhe falara, e como em Damasco pregara ousadamente em nome de Jesus”.  Atos 9.27:

Uma das coisas tremendas na Palavra de Deus é o relacionamento de Paulo com Barnabé. Tinha tudo para dar errado, Paulo havia sido um perseguidor de tudo aquilo que Barnabé acreditava e que por algum motivo que só Deus pode explicar se livrou dessa fúria. No decorrer da história os dois se tornaram muito amigos, fazendo viagens e compartilhando da perseguição por Cristo.

Conviver com o diferente é um dos desafios do mundo moderno, a sociedade está sofrendo do que chamo de izolacionismo urbano, vivemos perto de pessoas, quase nunca estamos sós em um ambiente, mas cada um vivendo a sua vida, cultivando uma prisão emocional e não permitindo a ninguém invadir esse espaço. Quando olho para a história desses dois homens citados acima vejo uma amizade que se doava. Mesmo diante de um desentendimento que gerou separação momentânea ainda se nutria uma amizade verdadeira onde a admoestação era bem vinda, mesmo que afrontasse o grande missionário. (Atos 15)

Nos relacionamentos pós modernos a discordância ainda causa reações prematuras, a quebra de relacionamentos se dá naturalmente quando somos confrontados com nossas fragilidades mesmo que reais e verdadeiras. Isso tem gerado relacionamentos abstratos, sem profundidade que não passariam jamais no teste do tempo.

Lembro-me que li sobre duas famílias muito amigas, compartilhavam tudo, andavam juntos, tinham muitas coisas em comum.  Certo dia uma ficou sabendo que seus grandes amigos estavam falando mal deles e imediatamente reagiram. Tiraram seus filhos do convívio dos filhos da outra família, evitavam ir há algumas programações da igreja que poderiam ter contato com seus algozes. Em um momento de oração sentiram direção de Deus no seguinte sentido: perceberam que os acusados eles não conheciam, não batia com tudo que conviveram juntos. Mas os grandes amigos esses sim eles conheciam. Então resolveram voltar ao normal, deixar para lá as fofocas, dar um voto de confiança e esperar em Deus.  Alguns dias depois a pessoa que havia criado a fofoca veio e pediu perdão, disse que havia se enganado e nada daquilo tinha acontecido.

Como perdemos tempo tentando manter uma postura,  lutando pela honra quando ela nem sequer está ameaçada!

Barnabé era mais importante para Paulo do que a desavença que tiveram,  perceberam isso e  continuaram a caminhada sendo benção nas mãos de Deus. Entendo porque as crianças brigam e logo estão brincando de novo como se nada tivesse acontecido, é porque elas valorizam mais a amizade do que as brigas.

Creio que precisamos aprender isso, aprendermos uns com os outros, permitindo que pessoas entrem em nossa guarda muitas vezes levantada para que ninguém chegue até nós, e permitir que Deus trate a nossa vida, o nosso caráter e para isso use outras pessoas. 

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Alegria no Senhor

Queridos amigos, depois de um período sem postar nada estou de volta. Passei um tempo buscando novos rumos para meus pensamentos, ser um escritor meramente teórico não está em minhas pretenções, prefiro falar sobre questões do dia a dia e como reagimos a elas. Espero que você me acompanhe e dê sua opinião sobre o que vai ser escrito nesse blog. 


Tenho pensado sobre como alegrar ao Senhor, e lembrei desse texto de Neemias: " Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor. Portanto não vos entristeçais, pois a alegria do Senhor é a vossa força." ( Neemias 8:10 )

Alegrar alguém as vezes pode se tornar uma arte. Ou uma batalha campal. Precisamos conhecer a quem queremos agradar, e não basta saber do que gosta, mas também do que não gosta.

Sempre cito um exemplo: eu gosto muito de sorvete, e para me agradar me deram um pote de 2 litros. De morango. Detesto sorvete de morango... Não bastou saber do que gosto, precisavam saber também do que não gosto.

Com o Senhor não é diferente: para alegrá-lo devemos ir a fundo no conhecimento do que gosta e do que não gosta. Para termos a força que vem da Sua alegria, precisamos alegrá-lo.

Agora veja que não é um ato isolado, pois o texto diz para celebrar e compartilhar com os que têm falta, festejar e não se entristecer. E veja lá no capítulo que o contexto era de muita luta e dificuldade, em um momento histórico sério.

Para nós hoje é muito mais fácil, pois temos Jesus, temos o Espírito Santo conosco, temos a Bíblia completa, temos a igreja local, temos a profecia e temos as traduções. Tudo disponível de mão beijada para nosso uso.

Em contrapartida temos o mundão, a Internet, a televisão, o futebol, o motel, a cerveja, e mais um punhado enorme de coisas que tomam e desviam nossa atenção da Palavra de Deus.

Cabe a nós, no nosso tempo, alegrar o Senhor, fazendo o que ele gosta e evitando o que ele não gosta, para ter esta força que vem da Sua alegria, em meio a um mundo complicado e a uma vida cada vez mais corrida.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Seja um vencedor

Hoje os relacionamentos exercem, muitas vezes, influencia negativa no ser humano. Ensinam lamentar perdas mesmo que isso tire a capacidade de lutar. É mais fácil lamentar o perdido do que recuperá-lo.

Você está cansado! Mude de atitude, corra atrás de seus ideais, não espere a derrota. Um homem falou para um dependente: “Isto não é jeito de se viver, mas sim jeito de morrer.”

O ser humano precisa de descanso, não somente descanso físico que faz bem para o corpo, mas descanso do emocional e do espiritual. Alguém um dia escreveu uma frase que mexe muito comigo: “todo o ser humano, por mais auto-suficiente que se considere, tem um vazio dentro de si que só pode ser preenchido com Deus”.

Decidi não sr um derrotado e para tanto luto cada minuto do dia para que, em minhas reações e atitudes Deus seja glorificado.

Vamos juntos?????