sábado, 6 de setembro de 2008

Certa vez li um texto que contava uma linda experiência:
É a história de um carpinteiro que , após um dia exaustivo de trabalho, retornou ao seu lar acompanhado de seu chefe. Antes de entrarem em sua casa, o carpinteiro parou em uma pequena árvore e gentilmente tocou as pontas dos galhos com suas mãos.

Quando aquela porta se abriu, os traços tensos de seu rosto se transformaram e, com um grande sorriso nos lábios, abraçou sua esposa e filhos.

Mais tarde, o carpinteiro levou seu chefe até o carro: seu chefe lhe perguntou porque havia tocado na árvore. Respondeu o carpinteiro: “essa é minha árvore dos problemas, não posso evita-los, mas sei que não posso trazê-los à minha família. Então resolvi que toda noite eu deixaria os meus problemas nessa árvore os pegaria na manhã seguinte.”

Continuou o carpinteiro: “todas as manhas quando eu volto para pegar meus problemas, eles não são nem a metade do que eu me lembro de ter deixado na noite anterior...”

Caro leitor, quantas vezes caímos nessa armadilha, permitindo que as dificuldades interfiram em nossa vida e em nosso lar, tirando-nos a paz e a tranqüilidade, impossibilitando que tenhamos momentos alegres junto aos nossos familiares.

É preciso refletir sobre nossas atividades como maridos, esposas e filhos.

Desafio você que comece agora a mudança, se você não tem uma árvore em frente a sua casa, crie uma em sua imaginação e deixe seus problemas lá fora. Não se pode descarregar na família as dificuldades que se recebeu no trabalho ou na rua. Os familiares não têm culpa de as coisas não saírem como se gosta ou espera. Se estiver nervoso dê um tempo, certamente Deus lhe ajudará a encontrar o equilíbrio necessário.

Em nossa casa procuramos nos conhecer, exercitamos diariamente o cuidado um com o outro. Às vezes, não é muito fácil, mas Deus tem nos ensinado a amar e respeitar cada um. É preciso lembrar que a família é nossa maior herança.

Que para tanto Deus nos abençoe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário